Nossas Histórias

ESSE BLOG É PARA CONTARMOS AS NOSSAS HISTÓRIAS, MOSTRAR A NOSSA LUTA E A NOSSA VITÓRIA...

sábado, 23 de março de 2013

Relato postado por Aparecida Alves ApendinPsicologa Diga não a Pedofilia.


Relato de uma menina que sofreu abuso sexual dos 5 aos 14 anos de idade...,esse caso me chocou muito...

Meu nome é M,prefiro me identificar assim,na verdade aderi o simples M para não ser apontada ou simplesmente motivo da piedade dos outros.
Bem vamos lá sou de família muito pobre,minha mãe tem 4 filhos eu sou a mais nova ,claro que eu queria ter sido planejada e sonhada , não fui....Mais enfim esse não é o motivo pelo qual redijo essa carta, a minha intenção é contar minha historia,que infelizmente não foi só um pesadelo, foi real,vivi cada momento de horror,aquele monstro me tocava todas as manhas eu me escondia,para que ele não pudesse me achar mais como eu me esconder do meu "pai",dizem que criança não tem percepção do que é ruim pra ela isso é verdade,eu não sabia que aquilo poderia me causar tanta dor,lembro-me das manhas que eu acordava e era bom ter meu "pai" que aos poucos foi se tornando o pior de todos os meus "medos de criança",a pa
rtir do momento que ele começa a me "tocar com força" quando eu tinha 7 anos o abuso tornou-se mais frequente,ele me tocava o tempo todo e apertava minha boca com a mão para que eu ficasse quieta,comecei a ter medo não queria ir a escola mais não podia falar pra minha mãe ela não ia acreditar...
Passou o tempo e ele continuou, quando completei 12 anos não aguentava mais o ódio que eu tinha por ele era imenso,e ai decido contar a minha mãe e tenho como resposta "FICA QUIETA",isso é coisa da sua cabeça..
Meu mundo caiu,,me sentia desajustada foi ai que pela primeira vez,tentei o suicídio afinal a vida não tinha sentido pra mim,tomei muitos tranquilizantes ,minha mãe acordou pela manha foi ao meu quarto e me achou mais...infelizmente naquele momento não consegui o que eu queria afinal queria a morte para camuflar minha raiva,fiquei alguns dias internada mais recebi alta e voltei para o meu pior pesadelo a quem eu recorreria? meu pai um homem bom e eu quem era eu a não ser uma adolescente que não falava com ninguém e tentou se matar..
O abuso se estendeu mais um pouco não tinha mais forças ate que um dia reagi e disse aquele homem imundo que se tocasse em mim eu o mataria,lembro da expressão de medo daquele homem ,eu não tava brincando...passou 1 ano ele nunca mais me tocou!!! e depois de algum tempo ele morreu de morte natural infarto ...
Hoje tento me reconstruir a cada dia,sou mãe,consegui me levantar, mais todos os dias da minha vida lembro de tudo que vivi e passei,Hoje sei o que fazer com as marcas que esse abuso me deixou tento viver...principalmente na hora que olho para os olhos da minha filha,acho forças..e cada dia tento sobreviver.

Relato de uma menina que sofreu abuso sexual dos 5 aos 14 anos de idade...,esse caso me chocou muito...

Meu nome é M,prefiro me identificar assim,na verdade aderi o simples M para não ser apontada ou simplesmente motivo da piedade dos outros.
Bem vamos lá sou de família muito pobre,minha mãe tem 4 filhos eu sou a mais nova ,claro que eu queria ter sido planejada e sonhada , não fui....Mais enfim esse não é o motivo pelo qual redijo essa carta, a minha intenção é contar minha historia,que infelizmente não foi só um pesadelo, foi real,vivi cada momento de horror,aquele monstro me tocava todas as manhas eu me escondia,para que ele não pudesse me achar mais como eu me esconder do meu "pai",dizem que criança não tem percepção do que é ruim pra ela isso é verdade,eu não sabia que aquilo poderia me causar tanta dor,lembro-me das manhas que eu acordava e era bom ter meu "pai" que aos poucos foi se tornando o pior de todos os meus "medos de criança",a partir do momento que ele começa a me "tocar com força" quando eu tinha 7 anos o abuso tornou-se mais frequente,ele me tocava o tempo todo e apertava minha boca com a mão para que eu ficasse quieta,comecei a ter medo não queria ir a escola mais não podia falar pra minha mãe ela não ia acreditar...
Passou o tempo e ele continuou, quando completei 12 anos não aguentava mais o ódio que eu tinha por ele era imenso,e ai decido contar a minha mãe e tenho como resposta "FICA QUIETA",isso é coisa da sua cabeça..
Meu mundo caiu,,me sentia desajustada foi ai que pela primeira vez,tentei o suicídio afinal a vida não tinha sentido pra mim,tomei muitos tranquilizantes ,minha mãe acordou pela manha foi ao meu quarto e me achou mais...infelizmente naquele momento não consegui o que eu queria afinal queria a morte para camuflar minha raiva,fiquei alguns dias internada mais recebi alta e voltei para o meu pior pesadelo a quem eu recorreria? meu pai um homem bom e eu quem era eu a não ser uma adolescente que não falava com ninguém e tentou se matar..
O abuso se estendeu mais um pouco não tinha mais forças ate que um dia reagi e disse aquele homem imundo que se tocasse em mim eu o mataria,lembro da expressão de medo daquele homem ,eu não tava brincando...passou 1 ano ele nunca mais me tocou!!! e depois de algum tempo ele morreu de morte natural infarto ...
Hoje tento me reconstruir a cada dia,sou mãe,consegui me levantar, mais todos os dias da minha vida lembro de tudo que vivi e passei,Hoje  sei o que fazer com as marcas que esse abuso  me deixou tento viver...principalmente na hora que olho para os olhos da minha filha,acho forças..e cada dia tento sobreviver...


Relato postado por Aparecida Alves Apendino-Psicologa
Diga não a Pedofilia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário