Nossas Histórias

ESSE BLOG É PARA CONTARMOS AS NOSSAS HISTÓRIAS, MOSTRAR A NOSSA LUTA E A NOSSA VITÓRIA...

sábado, 23 de março de 2013

Relato postado por Aparecida Alves ApendinPsicologa Diga não a Pedofilia.


Relato de uma menina que sofreu abuso sexual dos 5 aos 14 anos de idade...,esse caso me chocou muito...

Meu nome é M,prefiro me identificar assim,na verdade aderi o simples M para não ser apontada ou simplesmente motivo da piedade dos outros.
Bem vamos lá sou de família muito pobre,minha mãe tem 4 filhos eu sou a mais nova ,claro que eu queria ter sido planejada e sonhada , não fui....Mais enfim esse não é o motivo pelo qual redijo essa carta, a minha intenção é contar minha historia,que infelizmente não foi só um pesadelo, foi real,vivi cada momento de horror,aquele monstro me tocava todas as manhas eu me escondia,para que ele não pudesse me achar mais como eu me esconder do meu "pai",dizem que criança não tem percepção do que é ruim pra ela isso é verdade,eu não sabia que aquilo poderia me causar tanta dor,lembro-me das manhas que eu acordava e era bom ter meu "pai" que aos poucos foi se tornando o pior de todos os meus "medos de criança",a pa
rtir do momento que ele começa a me "tocar com força" quando eu tinha 7 anos o abuso tornou-se mais frequente,ele me tocava o tempo todo e apertava minha boca com a mão para que eu ficasse quieta,comecei a ter medo não queria ir a escola mais não podia falar pra minha mãe ela não ia acreditar...
Passou o tempo e ele continuou, quando completei 12 anos não aguentava mais o ódio que eu tinha por ele era imenso,e ai decido contar a minha mãe e tenho como resposta "FICA QUIETA",isso é coisa da sua cabeça..
Meu mundo caiu,,me sentia desajustada foi ai que pela primeira vez,tentei o suicídio afinal a vida não tinha sentido pra mim,tomei muitos tranquilizantes ,minha mãe acordou pela manha foi ao meu quarto e me achou mais...infelizmente naquele momento não consegui o que eu queria afinal queria a morte para camuflar minha raiva,fiquei alguns dias internada mais recebi alta e voltei para o meu pior pesadelo a quem eu recorreria? meu pai um homem bom e eu quem era eu a não ser uma adolescente que não falava com ninguém e tentou se matar..
O abuso se estendeu mais um pouco não tinha mais forças ate que um dia reagi e disse aquele homem imundo que se tocasse em mim eu o mataria,lembro da expressão de medo daquele homem ,eu não tava brincando...passou 1 ano ele nunca mais me tocou!!! e depois de algum tempo ele morreu de morte natural infarto ...
Hoje tento me reconstruir a cada dia,sou mãe,consegui me levantar, mais todos os dias da minha vida lembro de tudo que vivi e passei,Hoje sei o que fazer com as marcas que esse abuso me deixou tento viver...principalmente na hora que olho para os olhos da minha filha,acho forças..e cada dia tento sobreviver.

Relato de uma menina que sofreu abuso sexual dos 5 aos 14 anos de idade...,esse caso me chocou muito...

Meu nome é M,prefiro me identificar assim,na verdade aderi o simples M para não ser apontada ou simplesmente motivo da piedade dos outros.
Bem vamos lá sou de família muito pobre,minha mãe tem 4 filhos eu sou a mais nova ,claro que eu queria ter sido planejada e sonhada , não fui....Mais enfim esse não é o motivo pelo qual redijo essa carta, a minha intenção é contar minha historia,que infelizmente não foi só um pesadelo, foi real,vivi cada momento de horror,aquele monstro me tocava todas as manhas eu me escondia,para que ele não pudesse me achar mais como eu me esconder do meu "pai",dizem que criança não tem percepção do que é ruim pra ela isso é verdade,eu não sabia que aquilo poderia me causar tanta dor,lembro-me das manhas que eu acordava e era bom ter meu "pai" que aos poucos foi se tornando o pior de todos os meus "medos de criança",a partir do momento que ele começa a me "tocar com força" quando eu tinha 7 anos o abuso tornou-se mais frequente,ele me tocava o tempo todo e apertava minha boca com a mão para que eu ficasse quieta,comecei a ter medo não queria ir a escola mais não podia falar pra minha mãe ela não ia acreditar...
Passou o tempo e ele continuou, quando completei 12 anos não aguentava mais o ódio que eu tinha por ele era imenso,e ai decido contar a minha mãe e tenho como resposta "FICA QUIETA",isso é coisa da sua cabeça..
Meu mundo caiu,,me sentia desajustada foi ai que pela primeira vez,tentei o suicídio afinal a vida não tinha sentido pra mim,tomei muitos tranquilizantes ,minha mãe acordou pela manha foi ao meu quarto e me achou mais...infelizmente naquele momento não consegui o que eu queria afinal queria a morte para camuflar minha raiva,fiquei alguns dias internada mais recebi alta e voltei para o meu pior pesadelo a quem eu recorreria? meu pai um homem bom e eu quem era eu a não ser uma adolescente que não falava com ninguém e tentou se matar..
O abuso se estendeu mais um pouco não tinha mais forças ate que um dia reagi e disse aquele homem imundo que se tocasse em mim eu o mataria,lembro da expressão de medo daquele homem ,eu não tava brincando...passou 1 ano ele nunca mais me tocou!!! e depois de algum tempo ele morreu de morte natural infarto ...
Hoje tento me reconstruir a cada dia,sou mãe,consegui me levantar, mais todos os dias da minha vida lembro de tudo que vivi e passei,Hoje  sei o que fazer com as marcas que esse abuso  me deixou tento viver...principalmente na hora que olho para os olhos da minha filha,acho forças..e cada dia tento sobreviver...


Relato postado por Aparecida Alves Apendino-Psicologa
Diga não a Pedofilia.

sexta-feira, 22 de março de 2013

E a vida é assim... / Bya Albuquerque

E a vida é assim...você se apaixona por um serzinho e o nomeia seu anjo. Começa dar atenção total a ele e, de repente, percebe que toda sua vida gira em torno desse ser...que sem ele a sua vida não tinha nem sentido e nem valor. Você se sente quase feliz, apesar de todas as dores e amarguras, mas ainda assim sua vida tem uma finalidade: viver para esse ser e faze-lo feliz. Infelizmente o psicopata ao seu lado percebe o mesmo e começa a te chantagear cruelmente. Então você pensa: se já está sofrendo o abuso sexual...a rejeição materna e a omissão social, pra que envolver esse ser em tanta dor? Você joga toda a sua adolescência e parte da sua juventude fora para proteger esse ser que tanto ama e que na época corresponde ao seu amor. Porém esse ser cresce e vc passa a ter cumplicidade com ele (sem jamais falar sobre o abuso paterno). Mas esse ser confunde a cumplicidade com chantagem emocional e passa a exigir sempre a sua presença e atenção. E você dá, abrindo mão de muitas coisas...da sua vida. Só que a vida prossegue e você quer ter a sua família e retomar sua vida. Então esse ser se afasta totalmente de você e você passa a ser uma estranha na vida dele. Você que esperava um dia sentar com esse ser e contar toda a verdade, chorar juntos...unir as forças. Mas quando esse ser já totalmente estranho e distante fica sabendo da verdade, te chama de louca...não acredita...e se afasta totalmente. Mesmo assim o seu amor por ele é tão grande e forte, que vc mantem as esperanças de reverter essa situação e passa a viver na ilusão de que houverá mudanças...mas não houve. Finalmente após 34 anos vc percebe que jogou toda sua vida fora por uma pessoa que não valeu a pena. E com certeza nunca valerá...Esse ser é minhã única irmã, 11 anos e meio mais nova que eu.

domingo, 17 de março de 2013

Depoimento da Zélia

Em um apartamento pequeno com 5 filhos, é Humanamente impossível de se viver. Mas mais impossível ainda é q uma mãe ñ perceba q os filhos 10/12 anos mais velhos estão cometendo abusos com os menores. O raio caiu 3 vezes em cima da minha cabeça,e essa noite o sono foi profundo,mas cheios de pesadelos, existem épocas q tenho atá medo de dormir. As vezes fico pensando,prq Deus escolhe determinadas pessoas para passar por determinadas coisas e outras ñ? Quanto de sofrimento o ser humano é capaz de aguentar?Prq a vida é sonhos para uns, e pesadelos para outros? Apesar de somente ter Três anos de idade, lembro bem dos meus irmãos mais velhos abusando de mim. Eu era obrigada a fazer neles sexo oral, me ensinavam a masturba-los enfim, me seviciaram dos três aos 7 anos. Ameaçavam dizendo q se contasse para meus pais eles me bateriam,dariam sumiço em mim. Mas isso já faziam normalmente. fizeram com minhas irmãs e agora era chegada a minha vez. Eu ñ tive irmãos tive uma gangue. Eu fugia como podia,mas em um lugar tão peq. era impossível se ter pra onde ir. Quando os dois chegavam da escola,eu já começava a tremer,tudo iria começar... isso durou uns 4 anos. Até q minha mãe descobriu, e resolveu tomar uma atitude prq eles haviam feito a mesma coisa com minhas duas irmãs mais velhas. mas ao invés deles serem punidos,de receberem algum tipo de reprimenda por parte dos meus pais, eu fui a punida. fui mandada pra um lugar mto longe,para a casa da minha tia,no meio do mato,onde nem saneamento básico tinha,um lugar q nem conhecia com gente q eu quase nunca via. O banheiro era fora da casa, muitas noites eu fiz xixi na cama com medo de ir lá fora. Ñ fui maltratada,mas tbm ñ fui amada. Ñ fui amada em um momento em q eu nem sabia o q tinha feito,o q acontecia... Quem era a vitima afinal??? Passei pelo meu tempo de purgatório,e coisas se formaram na minha cabeça. Algumas delas tipo,eu fui a errada,eu fiz algo errado,ñ sei o q? mas se fui punida eu fiz... Quando a dita poeira abaixou,me trouxeram de volta. Mas me tornei uma criança vigiada,meus irmãos ñ eram vigiados,eu sim. Ñ dava um passo,ñ podia nem mesmo tirar uma blusa em dias mto quentes q era reprendida,se as mão estivessem perto das partes intimas era repreendida ou msm apanhava,"ai ñ é lugar de se colocar as mãos,nem se pode deixar homem nenhum tocar aí." palavras da minha mãe,só q ela esqueceu de me avisar isso antes,e mais ainda de avisar aos meus irmãos 10/12 anos mais velhos q ñ fizessem isso. Meu nome é xxxxxxxxxx, e passei por três episódios de abuso e violência sexual em fazes diferentes da mha vida. Tenho vergonha de dizer até msm a vcs,q o raio ñ caiu um mais duas vezes em minha cabeça.